Ansiedade

ANSIEDADE

O que é ansiedade?

Sentir ansiedade não significa ter uma doença. Em graus moderados ela é uma reação natural do corpo ao estresse e por isso faz parte da vida de qualquer ser humano. Podemos ficar ansiosos quando temos uma apresentação no trabalho ou na escola no dia seguinte, quando estamos sendo avaliados, quando estamos esperando alguma resposta ou em muitas outras situações. A ansiedade pode ser entendida como um mecanismo evolutivo presente em todos nós que nos auxilia a detectar o perigo e adotar as medidas necessárias para lidar com ele. A ansiedade em seu estado normal é saudável pois nos prepara para as situações emergenciais e também  nos impulsiona para realizarmos projetos e planejarmos o futuro. O que se torna alarmante é o excesso de ansiedade ou de medo frente a certas situações que em tese não necessitariam tais reações.

Quando a ansiedade se torna um problema?

Se por algum motivo esse recurso adaptativo estiver desregulado, ele faz com que a pessoa sinta que está correndo perigo mesmo sem de fato estar. Nessas situações a pessoa começa a apresentar uma série de sintomas psicológicos e físicos que serviriam para prepará-la para um momento emergencial. Contudo, sem estar diante de nenhuma ameaça, a pessoa sente um grande mal estar, na forma de uma ansiedade com intensidade, persistência e frequência desproporcionais causando sofrimento e prejuízo ao desempenho social e/ou profissional.

Principais sintomas físicos e emocionais

Se por algum motivo esse recurso adaptativo estiver desregulado, ele faz com que a pessoa sinta que está correndo perigo mesmo sem de fato estar. Nessas situações a pessoa começa a apresentar uma série de sintomas psicológicos e físicos que serviriam para prepará-la para um momento emergencial. Contudo, sem estar diante de nenhuma ameaça, a pessoa sente um grande mal estar, na forma de uma ansiedade com intensidade, persistência e frequência desproporcionais causando sofrimento e prejuízo ao desempenho social e/ou profissional.

Os principais sintomas físicos dos transtornos de Ansiedade são:

Dor de cabeça, Tontura, Nó na garganta, Dores abdominais ou diarreia,  Falta de ar, Sensação de formigamento, Coração acelerado, Dores no peito,  Inquietação, Falta de sono, Sudorese, Tensão muscular, Falta de apetite ou Excesso de apetite

Os principais sintomas psíquicos da ansiedade são:

Os pacientes com esse subtipo se impõem restrições alimentares drásticas e severas, porém, apresentam também alguns episódios de compulsão alimentar (com ingestão de grande quantidade de alimentos e perda de controle) seguidos de comportamentos chamados compensatórios (para tentar compensar as calorias ingeridas) tais como vomitar, tomar laxante e/ou diuréticos.

Os sintomas relatados acima são os principais sintomas dos transtornos de ansiedade. Isso não significa que todas as pessoas apresentarão todos esses sintomas. Cada tipo de transtorno de ansiedade apresenta um conjunto específico de sintomas físicos e psíquicos, que também variam de paciente para paciente.

Principais tipos de Transtornos de Ansiedade

Fobias específicas

Nesse transtorno de ansiedade, os pacientes sentem um medo muito forte de objetos ou situações. Podem ser a animais, ambiente natural, sangue-injeção-ferimentos, determinadas situações, entre outros. Na presença do estímulo que causa fobia, o paciente apresenta uma série de sintomas físicos e psíquicos muito desagradáveis fora de proporção em relação ao risco real que se apresenta.

Transtorno de ansiedade social (fobia social)

No transtorno de ansiedade social (fobia social), o indivíduo tem medo, fica ansioso ou evita interações e situações sociais que envolvem a possibilidade de ser avaliado. Estão inclusas situações sociais como encontrar-se com pessoas que não são familiares, situações em que o indivíduo pode ser observado comendo ou bebendo e situações de desempenho diante de outras pessoas. O paciente com transtorno de ansiedade social tem a crença de que será avaliado negativamente pelos demais, que vai ficar embaraçado, ser humilhado ou rejeitado ou ofender os outros.

Transtorno do pânico

No transtorno de pânico, o indivíduo experimenta ataques de pânico inesperados recorrentes e está persistentemente apreensivo ou preocupado com a possibilidade de sofrer novos ataques de pânico. Os ataques de pânico são ataques repentinos de medo intenso ou desconforto intenso que atingem um pico em poucos minutos, acompanhados de sintomas físicos e/ou cognitivos.

 Os ataques podem ser esperados, como em resposta a um objeto ou situação normalmente temido, ou inesperados, significando que o ataque não ocorre por uma razão aparente.

Agorafobia

 Os pacientes com agorafobia ficam com muito medo e ansiedade em duas ou mais das seguintes situações: usar transporte público; estar em espaços abertos; estar em lugares fechados; ficar em uma fila ou estar no meio de uma multidão; ou estar fora de casa sozinho em outras situações. O indivíduo teme essas situações devido aos pensamentos de que pode ser difícil escapar ou de que pode não haver auxílio disponível caso desenvolva sintomas do tipo pânico ou outros sintomas incapacitantes ou constrangedores. Essas situações quase sempre induzem medo ou ansiedade e com frequência são evitadas ou requerem a presença de um acompanhante.

Transtorno de ansiedade generalizada

As características principais do transtorno de ansiedade generalizada são ansiedade e preocupação persistentes e excessivas acerca de vários domínios, incluindo desempenho no trabalho e escolar, que o paciente encontra dificuldade em controlar. Além disso, são experimentados sintomas físicos, incluindo inquietação ou sensação de “nervos à flor da pele”; cansaço; dificuldade de concentração ou “ter brancos”; irritabilidade; tensão muscular; e perturbação do sono.

Tratamento

O tratamento inclui psicoterapia e avaliação psiquiátrica na qual será verificada a necessidade de utilização de medicação pra auxiliar no tratamento.

Os objetivos da Psicoterapia são:
  • Psicoeducação: o paciente entenderá o que é a sua doença, quais são os principais sintomas e como será o tratamento
  • Diminuição dos sintomas físicos e psicológicos
  • Diminuição dos pensamentos e crenças disfuncionais
  • Enfrentamento gradual das situações que causam medo e ansiedade
  • Aprender a manejar as crises de ansiedade
  • Aumentar a autoestima
  • Técnicas para diminuir a ansiedade
  • Trabalhar sobre outras questões da vida que podem estar relacionadas com o aumento da ansiedade: questões profissionais, familiares, amorosas, etc
faça o cadastro e baixe gratuitamente o livro FOME EMOCIONAL
CONTATO

Mande uma mensagem

Se você ficou com alguma dúvida, se deseja iniciar um processo de psicoterapia, ou se quer só bater um papo, me escreva! Vou adorar te responder.