Anorexia Nervosa

O QUE É?

Anorexia Nervosa

A anorexia nervosa AN é um transtorno do comportamento alimentar que apresenta três principais características:
  • Restrição persistente na ingestão de alimentos: o paciente com Anorexia Nervosa diminui a ingestão de alimentos e apresenta um peso mais baixo do que é considerado adequado para a sua idade.
  • Medo intenso de ganhar peso: mesmo apresentando pesos considerados muito baixos, o paciente continua sentindo um medo muito intenso de engordar.
  • Distúrbio da imagem corporal: o paciente com AN enxerga a sua própria imagem com excesso de peso quando, na realidade, ele está abaixo do peso. Esta distorção ocorre tanto na maneira como o indivíduo se vê, quanto na maneira como ele se sente.
Causas

A causa desta doença é multifatorial e varia de pessoa para pessoa. Ela inclui fatores ambientais, culturais e sociais, aliados a uma pré-disposição genética para o desenvolvimento do transtorno.

Dietas para emagrecer tem se mostrado como um fator de risco para o início do desenvolvimento da AN.

Prevalência

Acredita-se que que 0,4 % da população mundial é portadora de Anorexia Nervosa.  A doença é muito mais comum em mulheres do que em homem, refletindo uma proporção de 10:1 (dez mulheres para cada homem possuem a doença).

Subtipos de Anorexia Nervosa

Existem dois subtipos de anorexia nervosa, e ambos são transtornos mentais muito graves que requerem tratamento.

Subtipo Anorexia Nervosa Restritiva

Pacientes com esse subtipo apresentam severas restrições alimentares, diminuindo as quantidades e restringindo certos grupos alimentares (como por exemplo a gordura e o carboidrato). A consequência disso é uma redução drástica do peso, que normalmente ocorre de forma rápida e acentuada. Esses comportamentos restritivos em torno de alimentos podem ser acompanhados por exercícios excessivos.

Subtipo Anorexia Nervosa Purgativa

Os pacientes com esse subtipo se impõem restrições alimentares drásticas e severas, porém, apresentam também alguns episódios de compulsão alimentar (com ingestão de grande quantidade de alimentos e perda de controle) seguidos de comportamentos chamados compensatórios (para tentar compensar as calorias ingeridas) tais como vomitar, tomar laxante e/ou diuréticos.

Sintomas e características da Anorexia Nervosa

Quanto mais cedo for identificado um quadro de Anorexia Nervosa, maiores são as chances de tratamento. Se você ou alguém que você conhece está apresentando algum ou uma combinação desses sinais, é muito importante procurar ajuda e apoio o mais rápido possível.

  • Medo intenso de ganhar peso.
  • Insatisfação corporal (estar insatisfeito com o seu peso e forma do corpo).
  • Ter uma distorção da imagem corporal (por exemplo, o paciente se vê com excesso de peso quando eles estão realmente muito magros).
  • Recusa em manter um peso considerado adequado para a sua idade.
  • Amenorreia (ausência de menstruação).
  • Preocupação excessiva com a alimentação, comida, corpo e peso.
  • Sensação de não conseguir pensar em outro assunto que não seja o seu peso, suas medidas e as partes do seu corpo que estão incomodando.
  • Irritabilidade e ansiedade em torno das refeições.
  • Capacidade reduzida de pensar e maior dificuldade de concentração (decorrentes da desnutrição, ocorre em casos mais graves).
  • Autoestima muito baixa e perfeccionismo.
  • Isolamento social.
  • Dificuldade recusa para aceitar ou buscar tratamento psicológico.
  • Uso indevido e deliberado de laxantes, supressores de apetite, enemas e diuréticos.
  • Episódios de compulsão alimentar
  • Prática de exercícios físicos de forma compulsiva ou excessiva (por exemplo, exercitar-se em mau tempo, continuar a exercitar-se quando está doente ou lesionado e sofrendo emocionalmente quando a prática de exercício não é possível.
  • Comportamentos autodestrutivos, abuso de substâncias ou tentativas de suicídio.
Riscos para a saúde

Os riscos associados à anorexia são graves e podem ser fatais. Eles incluem:

  • Anemia (deficiência de ferro);
  • Comprometimento do sistema imunológico, ficando doentes com mais freqüência;
  • Problemas gastrointestinais como gastrite, dor abdominal, constipação e diarreia;
  • Perda ou perturbação da menstruação em meninas e mulheres (amenorreia);
  • Aumento do risco de infertilidade em homens e mulheres;
  • Insuficiência ou falência renal;
  • Osteoporose – uma condição que leva deixa os ossos frágeis e facilmente fraturados;
  • Problemas cardíacos (arritmia, anormalidades cardíacas, parada cardíaca súbita);
  • Morte.
Fatores de risco

Fatores de risco são situações que podem aumentar a chance de alguma pessoa desenvolver alguma doença. No caso da AN, os fatores de risco são:

  • Estar fazendo uma dieta para perda de peso.
  • Pressões culturais para ser magro (mídia, extrema valorização do corpo na nossa sociedade, padrões de beleza).
  • Ter sofrido bullying na infância ou adolescência por alguma característica relacionada ao corpo.
  • Fatores genéticos (se alguém na família desenvolveu algum Transtorno Alimentar).
Tratamento

Trata-se de um tratamento multidisciplinar, que deve envolver o trabalho de médicos, psicólogo e nutricionista. A eficácia do tratamento psicológico é clinicamente comprovada para reduzir a gravidade, impacto e duração da anorexia.

Principais dificuldades no tratamento:

A maior dificuldade é a adesão do paciente ao tratamento. Muitas vezes, o paciente com Anorexia tem uma grande dificuldade de aceitar que está doente e que precisa de ajuda para reestabelecer a sua saúde física e mental.

A dificuldade consiste em aceitar que os pensamentos obsessivos sobre ser mais magro e a insatisfação com o seu peso e a sua forma corporal são na verdade sintomas da doença. Quanto maior for a resistência para iniciar o tratamento, maiores são as chances de haver um agravamento do quadro com consequências muito graves.

Muitas vezes, o paciente só busca ou aceita tratamento após haver grande insistência por parte dos familiares. É muito importante que a família também receba cuidados e se envolva no tratamento. Os familiares devem ser orientados sobre o que é a doença, como se desenvolve e devem saber o que podem fazer para ajudar um paciente da família que está doente. As chances de melhora aumentam muito quando os familiares estão envolvidos no tratamento.

Objetivos do tratamento:

Os objetivos a longo prazo do tratamento psicológico para a anorexia são reduzir o risco de comprometimento da saúde, incentivar o aumento de peso, comportamentos normais de alimentação e exercício, com plena recuperação psicológica e física.

Componentes do tratamento:
Aconselhamento Nutricional

Um  componente do tratamento da NA é o aconselhamento nutricional. No aconselhamento nutricional, o nutricionista ensina o paciente a ter uma alimentação saudável, boa nutrição e alimentação balanceada. A nutricionista também ajuda a pessoa a desenvolver e acompanhar os planos de refeições, que incluem calorias suficientes para alcançar ou manter uma dieta saudável e peso adequado.

Psicoterapia

A terapia desempenha um papel crucial no tratamento da AN. Os seus objetivos são identificar os pensamentos e sentimentos negativos sobre o peso e a auto estima que estão por trás dos comportamentos anorécticos, e substituí-las por pensamentos menos distorcidos.  Outra meta importante é ensinar o paciente a lidar com emoções difíceis, problemas de relacionamento, e estresse, criando estratégias saudáveis para lidar com essas questões, ao invés de lidar de maneira autodestrutiva

A terapia Cognitiva:

Explora o pensamento crítico e questiona os pensamentos distorcidos da anorexia. O foco está no aumento da auto-consciência, desafiando as crenças distorcidas, melhorando a auto-estima, a auto-imagem e senso de controle. A terapia cognitiva também envolve uma psico-educação sobre a doença.

Terapia Comportamental:

Promove comportamentos alimentares saudáveis através da utilização de recompensas, reforços, auto-monitorização e ajuste do objetivo. Ensina o paciente a reconhecer a Anorexia Nervosa e lidar com ela usando técnicas e estratégias de confrontamento.

Terapia familiar:

Examina a dinâmica familiar que pode contribuir para a doença ou interferir na recuperação.

Terapia de grupo:

Permite que as pessoas com anorexia falem uns com os outros num ambiente supervisionado. Ajuda a reduzir o isolamento dos pacientes que muitos possam sentir. Esses membros do grupo podem apoiar-se uns aos outros através da recuperação e compartilhar as suas experiências e conselhos.

Medicações:

Não existem medicamentos concebidos especificamente para tratar AN, porque eles mostraram um benefício limitado no tratamento deste distúrbio alimentar. No entanto, os antidepressivos ou outras medicações psiquiátricas podem ajudar a tratar outros distúrbios mentais que comumente aparecem associados, como depressão ou ansiedade.

Internação:

Em casos de complicações médicas, ou emergências psiquiátricas, desnutrição severa ou persistente recusa a comer, a hospitalização pode ser necessária. A hospitalização pode ser numa enfermaria psiquiátrica ou médica. Existem também algumas clínicas que são especializadas no tratamento de pessoas com transtornos alimentares.

É possível a recuperação da Anorexia Nervosa?

Sim. É possível recuperar-se da anorexia, mesmo que tenha vivido com a doença por muitos anos. O caminho para a recuperação pode ser longo e desafiador, no entanto, com a equipe certa apoiando o indivíduo e um alto nível de compromisso, a recuperação é viável. Procure ajuda de um profissional com conhecimento especializado em transtornos alimentares.

Como encontrar ajuda?

Se você suspeita que você ou alguém que você conhece tenha anorexia, é importante procurar ajuda especializada imediatamente. Quanto mais cedo for a procura, mais perto estará da recuperação. 

faça o cadastro e baixe gratuitamente o livro FOME EMOCIONAL
CONTATO

Mande uma mensagem

Se você ficou com alguma dúvida, se deseja iniciar um processo de psicoterapia, ou se quer só bater um papo, me escreva! Vou adorar te responder.