Por que será que eu como mais quando estou triste ou estressado?

por em Comer Emocional, Melhorar a relação com o corpo 3 de fevereiro de 2020

É muito comum para algumas pessoas comerem em maior quantidade quando estão ansiosas, tristes ou estressadas.

Origem

Esse comportamento tem algumas causas e a sua origem reside na primeira infância quando ainda somos bebês. O recém-nascido sente fome, frio e desamparo, sentimentos que são imediatamente cessados quando mãe o pega e dá o peito para amamenta-lo. Quando isso acontece, o bebê se acalma e sente que tudo está bem novamente. Desta maneira, a associação entre “comida” e “conforto” é construída desde muito cedo e é uma estratégia utilizada pelo nosso cérebro para diminuir qualquer tipo de desprazer que o sujeito esteja sentindo.

Comer emocional

Na fase adulta, o comportamento de comer induzido por emoções (na ausência de fome fisiológica) é denominado “comer emocional”. Esse não é um termo médico ou científico, mas é como é conhecido esse comportamento. Trata-se de usar a comida para lidar com emoções, normalmente ruins, como raiva, tristeza, medo, tédio, etc e em alguns casos menos frequentes, para lidar com emoções boas também. O comer emocional pode ser tratado em terapia e o tratamento consiste em buscar melhores estratégias para lidar com o sofrimento, que não seja comendo. Há uma frase muito famosa que explica essa ideia: “Emoção assumida não vira comida”.

Aumento do apetite

Outra razão tem a ver com as substâncias que são liberadas em nosso organismo quando estamos estressados. Em curto prazo, o estresse faz o cérebro produzir corticotropina, um hormônio que suprimi o apetite, mas se o estresse persiste, as glândulas adrenais produzem cortisol, que aumenta o apetite. Por isso quando estamos em um período da vida em que estamos estressados, o nosso apetite aumenta e tendemos a comer mais. O cortisol também desregula o controle de apetite e acelera a multiplicação das células de gordura.


Como a terapia pode ajudar?

Conhecer sobre o seu corpo, ajuda a perceber e distinguir o que é da ordem das necessidades físicas e o que é da ordem das necessidades emocionais. Na terapia você aprende a identificar esses sinais que o seu corpo te dá e após perceber quais são as dificuldades emocionais, passamos a conversar sobre elas e vemos como podemos resolvê-las ou ressignificá-las dentro de nós.

>> Acompanhe também novidades no nosso Facebook e Instagram

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *