Por que comemos?

por em Comer Emocional, Compulsão Alimentar, Sem categoria 27 de janeiro de 2020

Você já parou pra pensar por que comemos?

Imagino que a primeira resposta que todos nós damos para esta pergunta é a mesma: comemos porque precisamos de nutrientes para continuarmos vivos. Esta resposta está correta, porém ela é incompleta – o alimento não serve apenas para nutrirmos o nosso corpo, ele é também uma grande fonte de prazer para o ser humano. A comida está presente em quase todos os encontros ou momentos que compartilhamos com outras pessoas. Usamos a comida (e a bebida) em momentos de confraternização, comemorações, festas e rituais. Através dela conhecemos outras culturas e aprendemos sobre a história dos povos e das civilizações. Cada país e região consome determinado grupo de alimentos que está sempre muito ligado a questões simbólicas, políticas e ambientais. Pesquisamos novas formas de comer cada alimento, experimentamos novos gostos, texturas e cores.  Além de gostarmos de comer, nós gostamos de falar sobre comida, de aprender novas receitas e trocar estas experiências com outros.

Sentidos e memória

Quando comemos, não estamos usando só o nosso paladar, comemos também com a visão, o tato e o olfato. A comida também tem a ver com a memória: certos alimentos nos fazem lembrar de momentos da infância, daquele cheiro de bolo da casa da avó, das frutas do quintal da casa que moramos quando erámos mais jovens, da comida que nossos pais cozinhavam para nós, dos aniversários, natais, férias e viagens.

Aspectos psicológicos do comer

A comida não mata só a nossa fome do estômago, ela pode também nos trazer um conforto psicológico.

Para entendermos isto basta lembrarmos de como se comportam os bebês. Eles buscam o seio materno quando estão com fome e sede, mas também para se sentirem protegidos, acolhidos e aquecidos. Desde muito cedo nós aprendemos que o alimento pode nos trazer todas essas sensações, e esse conhecimento é levado para a vida toda.

Veja, portanto, que nós não comemos somente por uma necessidade fisiológica. A comida faz parte da nossa sociabilidade e serve não só para nos nutrir, como também para nos dar prazer. Nós nos nutrimos também de sentimentos, ou seja, a fome tem dimensões emocionais, culturais e sociais. É muito comum comermos um pouco mais em um evento social ou quando a comida está muito gostosa. É igualmente comum buscarmos comer alguma coisa para nos sentirmos melhor em algum dia ruim. E não há problema nenhum se isto ocorrer de vez em quando.

Quando se torna um problema?

Nós só podemos começar a considerar isto um problema quando passamos a recorrer somente à comida todas as vezes em que estivermos com dificuldade para lidarmos com alguma situação ou algum sentimento, ou seja, quando a comida passa a ser o único recurso para lidarmos com as nossas emoções.

>> Acompanhe também novidades no nosso Facebook e Instagram

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *